Páginas

Minhas Ofertas São Postas de Peixe

Minhas ofertas estão postas na mesa
São palavras escritas sob o papel branco
Palavras que se colam a outras tantas
E não calam nas tintas da caneta imprecisa...

O poeta nunca se manifesta completo
Sempre pula um ou dois versos, sílabas
Até mesmo estrofes inteiras do poema
Quando se concretiza é final do dia-a-dia

No correr do dia há também o correr
Das correntes do rio que navegam no olhar
De um olhar de quem sonha sem piscar

Minhas ofertas, confesso, são postas
Pequenas postas de peixes fritos
Retiradas do imenso Pantanal que sonho.

Quem é o autor?

Ou chuva e sol: casamento espanhol
ou sol e chuva: casamento da viúva
e lembrar-se dum poema de Cecília Meirelles

A poesia, por certo, não mimetiza o tempo
embora as palavras caibam no tempo exato
dentro de uma realidade encarcerada
pelos seus próprios autores

(O autor de mim sou eu!)

Dona Dulce dos Pobres

Dona Dulce dos Pobres,
Por favor, olhai aquele mendigo
Maltrapilho que de tanto socorro precisa...
-Sou eu!

Olhai minhas chagas, tristes chagas,
Que habitam meu coração que de tanto olhar precisa
Para se reformar e tonar-se um coração bom

Os Cinco Poetas Morenos


Os Cinco poetas Morenos
não tocam mais a serenata
A rabeca está encostada
o pavio musical não mais se acende

A poção mágica da cultura, rasqueado
não ficaram memorizados nos discos
nos anais da fita cassete...
- Tudo que pudesse lembrar é esquecimento

Fim de Semana


O dia amanhece
o fim de semana se concretiza
e o poeta – que se diz –
fica dentro de casa
com a mudança de tempo.

Nunca Li Manuel de Barros


Depois da partida, sempre depois,
Podemos confessar e eu confesso
Que nunca li Manuel de Barros
Nunca entrei em seus livros

Sempre fiquei preambulando
Em volta dos versos e dos pós
E nunca, jamais, nas pré-coisas
Imersas nas metáforas pantaneiras...

Resultado


A poesia, apesar de sua convicção,
não responde a todas as questões da vida
nem quando caminha internamente...

Nenhum Poema Hoje



Hoje, não escrevi nenhum poema
Não houve assunto, ideia ou inspiração
O poema, se é que assim pode-se dizer,
ficou hibernado em algum plano
e neste momento não sabemos alcançar

Não escrevi nenhum poema, hoje
Acordei de mau-humor, coisa difícil,
mas acontece com todos os seres humanos
não importa se padre ou poeta

A poesia Escondida

A poesia, enquanto poesia,
Se esconde em nós
Ou se esconde de nós?

Eis a interrogação
Que se faz quando
Se olha para o azul

O azul da cor
Do céu furta-cor
Do olhar azul
Perdido na imensidão...

Leito hospitalar

A poesia, mesmo com febre,
quando infectocontagiosa,  
embora sem determinismo,
sai do leito e vai embora
a cativar os incautos
leitores sem previdência
ou meros consulentes

numa tarde, final de domingo.

O Céu em Chamas

O céu em chamas
no fim de tarde
é retrato pregado
na parede lateral

O céu em chamas
é pintura de artista
visionário que um dia
acordou antes da hora

Minha Poesia ao Léu


Minha poesia não é só minha.
Ela também é de quem a lê
e se sente enlevado por ela.

Sente que as palavras escritas
- desta maneira ou estilo -
é o jeito de como se usar para
dizer as mesmas coisas aqui ditas

Minha poesia não é só minha.
Antes de me pertencer, a poesia
pertence ao papel sob o qual a se lê

E ela vive ótima na memória
(não importa a memória de quem
lê ou declama) sem que o poeta possa
segurar o destino do poema ao léu.

Questão 2


Na narrativa de nossas vidas sabemos
(ou imaginamos saber) para onde vamos
e no sentido de nosso caminhar
não entendemos por que as pessoas
– tanta gente –
caminham contrárias à nós...

O Poema Que se Pede


Veja, o poeta se mete em enrascadas
quando pessoas pedem um poema
ele não sabe dizer não - bem feito -
e a poesia não se assunta de emergência

O poema – mesmo de estrutura simples
sem rimas de valor estimado
ou de prestígio duvidoso –
não se encontra na esquina
tampouco se saca num caixa eletrônico
de uma agência poética plantão 24 horas